A importância da Ginástica Laboral na sua empresa.

A Ginástica Laboral (GL) tem por finalidade previnir doenças, aliviar o estresse, promover descontração entre os colegas de trabalho e preparar o corpo dos funcionários para a realização das suas tarefas diarias. Baseia-se em técnicas de alongamento, distribuídas por várias partes do corpo, dos membros, passando pelo tronco, à cabeça, sendo importante e fundamental ser orientada ou supervisionada por um fisioterapeuta ou educador físico.

Além de proporcionar os beneficios citados acima, a GL aliada a uma boa ergomia local previne o tão temido dos empregadores, o absenteísmo, que é o fenômeno relacionado à ausência do trabalhador. A falta de comparecimento do empregado ao seu posto de trabalho importa em consideráveis ônus às empresas, trazendo – além de outros – impactos financeiros significativos.

Ginástica Laboral: mova-se com essa idéia!

Uma boa postura: A MAGO aposta nessa ideia.

Uma melhor qualidade de vida. Este é um desejo contínuo da humanidade e vem sendo mais reforçado atualmente principalmente no ambiente organizacional.

A ergonomia é apresentada como um recurso para se chegar a essa condição auxiliando na correção postural e no bem-estar físico das pessoas, pois, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% da população mundial sofreu, sofre ou sofrerá de algum tipo de caso de dor nas costas. E boa parte desses casos surge da má postura no ambiente organizacional.

Sintonizada com essa tendência mundial, a Mago conta com sessões quinzenais de massoterapia e cinesioterapia (ginástica) laboral a fim de propiciar aos Maguinhos um ambiente de trabalho cada vez mais saudável e a consequente otimização das atividades do cotidiano.

Para entendermos melhor essa tendência mundial, conversamos com a massoterapeuta Amanda Barbosa.

Formada em Fisioterapia do Trabalho – Ergonomia e Cinesioterapia Laboral pelo Centro de Treinamento de Profissionais de Saúde-Qualifica. E concluindo o Curso de Fisioterapia da Universidade Católica do Salvador, Amanda desenvolve atividades de massoterapia e fisioterapia na Mago há cerca de um ano.

1 – Amanda, o que é Ergonomia?

Segundo a definição do Congresso Internacional de 1969, a Ergonomia é o estudo científico da relação entre o homem e seus meios, métodos e espaço de trabalho.
Ou seja, a Ergonomia tem por objetivo trazer uma melhor adaptação das pessoas ao seu ambiente de trabalho e também para a vida.

2 – A Ergonomia ajuda a reduzir lesões que possam vir a acontecer no local de trabalho?

Sim. A palavra de ordem é PREVENÇÃO! Se o modo de lidar com a ergonomia no dia a dia for aplicado corretamente, irá estabelecer padrões que possibilitam uma melhor interação FUNCIONÁRIO – AMBIENTE DE TRABALHO. Favorecendo ao trabalhador, mais sofisticação e bem-estar diminuindo também os riscos de lesões em sua função.

3 – Quais os riscos de uma má postura no ambiente de trabalho?

Os riscos de forma geral são atribuídos pelas LER/DORT (Lesão por esforço repetitivo/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). Esses riscos são caracterizados pelo desgaste de estruturas musculares e esqueléticas, como: degeneração de discos intervertebrais, hérnias de disco, dores irradiadas ou generalizadas, formigamentos, fadiga, problemas circulatórios, artrite na região vertebral, desigualdade na altura dos ombros, bursite, entre outros problemas.

4 – Como fazer para melhorar a postura? Dê algumas dicas.

É importante lembrar que a postura ideal é consolidada a partir do momento que o trabalhador adquire consciência da importância da promoção de sua saúde em sua função.

5 – Quais os benefícios da massagem no ambiente organizacional?

A massagem, aliada a correção da postura, ajuda a diminuir o estresse, melhora da produtividade, a disposição quando do retorno ao setor, além de melhorar o convívio em grupo e o ânimo individual e coletivo.

Dicas de como melhorar a postura:

  • Deixe a cadeira no modo que possibilite estar sempre com as costas bem apoiadas mantendo os ombros relaxados e os cotovelos junto ao corpo;
  • Mantenha a altura da cadeira regulada de forma que os seus pés fiquem retos no chão e as pernas dobradas num ângulo de 90 graus;
  • Procure manter o computador e outras ferramentas de trabalho, posicionados de maneira que se trabalhe sempre com o pescoço e cabeças retas;
  • Para aliviar a pressão durante o expediente, sente-se encostado na cadeira, com as pernas relaxadas em Ângulo de 90°. Cruze as mãos atrás da cabeça ereta e faça o processo de inspiração e, ao expirar, jogue o corpo levemente para trás. Repita o movimento por 03 vezes.
  • A magia está na comunicação personalizada. MAGO

    Saiba reconhecer o planejamento, a  criatividade, a  dedicação, a ousadia! Conheça a MAGO http://www.magoonline.com.br

    “Para saber o que é ser mago, basta procurar histórias com finais surpreendentes e resultados positivos. Você vai descobrir que com planejamento, criatividade, dedicação, ousadia, conhecimento e sensibilidade é possível desvendar os segredos de cada trabalho e entender a essência de cada cliente para fazer uma comunicação encantadora. Parece complicado, mas é tão simples que para ser mago basta você querer.”

     

    Empresas investem na qualidade de vida dos funcionários

    Depois da febre de tecnologia que atingiu as empresas, as organizações se voltam para o seu grande trunfo: o homem. O maior desafio agora é melhorar a qualidade de vida dos funcionários.

    “Hoje, um profissional que tem má qualidade de vida e saúde ruim é um profissional que tem mais dificuldade de se colocar no mercado. A gente realmente tem certeza que um profissional que tem harmonia entre essas dimensões de bem estar tem mais sucesso profissional”, diz o médico José Alberto Ogata, presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida.

    A boa notícia é que um número grande de empresas tem decidido colaborar nesse processo. Elas se conscientizaram de que se preocupar com o funcionário virou sinônimo de maior produtividade.

    Em Vitória, uma siderúrgica melhorou seus lucros – e melhorou o ambiente de trabalho – investindo no bem estar dos funcionários. Lá, é senso comum: trabalhador estressado é trabalhador que produz menos – e, numa empresa grande, a situação pode piorar. É por isso que todo dia na empresa os funcionários fazem alongamento, acompanhados de um professor de educação física.

    Na siderúrgica também tem médico, psicólogo e assistente social – para ajudar, por exemplo, aqueles que querem parar de fumar. São 23 programas, coordenados pelo médico do trabalho Jorge Miranda. “O resultado é o melhor possível. No início do programa a gente tinha 40% – ou menos – de pessoas no melhor perfil. Hoje, nós temos 87% dos empregados no melhor perfil de saúde”, afirma. “Isso significa melhor produtividade, menor falta ao trabalho e o empregado mais feliz”.

    Já as pequenas e médias empresas têm como prioridade à sobrevivência – por isso, acabam tendo menos dinheiro para investir em programas de qualidade de vida. Só que isso já está mudando. No Recife, uma empresa encontrou uma saída com custo baixo e que tem deixado os funcionários bem satisfeitos.

    Na microempresa de Pernambuco, a criatividade tem sido a alternativa para garantir qualidade de vida dos funcionários. Eles podem participar de um programa de reeducação alimentar que é realizado fora da empresa; durante duas semanas, aprendem com uma nutricionista como equilibrar a alimentação, melhorando a saúde e – claro – aumentando a disposição para o trabalho. “A reeducação alimentar é um instrumento eficaz para que o trabalhador seja capaz de fazer escolhas saudáveis e assim melhorar sua saúde – e prevenir as doenças”, diz a nutricionista do Senac, Aline Sales.

    Segundo os especialistas, uma boa dica para as empresas é ouvir os empregados sobre suas expectativas e apontar os caminhos para realização delas.

                       Fonte: A Tribuna Online – 14/1/2008

    Saúde e Segurança Ocupacional

    Segundo a Previdência Social:

    “Em 2007 foram registrados 653.090 acidentes e doenças do trabalho, entre os trabalhadores assegurados da Previdência Social. Observem que este número, que já é alarmante, não inclui os trabalhadores autônomos (contribuintes individuais) e as empregadas domésticas. Estes eventos provocam enorme impacto social, econômico e sobre a saúde pública no Brasil.

    Entre esses registros contabilizou-se 20.786 doenças relacionadas ao trabalho, e parte destes acidentes e doenças tiveram como conseqüência o afastamento das atividades de 580.592 trabalhadores devido à incapacidade temporária (298.896 até 15 dias e 281.696 com tempo de afastamento superior a 15 dias), 8.504 trabalhadores por incapacidade permanente, e o óbito de 2.804 cidadãos.”

    Pense nisso! Você quer entrar para atualizar essa lista? A prevenção é o melhor remédio!

    ***Conheça a Relaxwork ***

    

    “ Toda parte do corpo se tornará sadia, bem desenvolvida e com envelhecimento lento se exercitadas; no entanto, se não forem exercitadas, tais partes se tornarão susceptíveis a doenças, deficientes no crescimento e envelhecerão precocemente. ”


    (HIPÓCRATES)

    Escoliose: “É aquele “S” na coluna é?”…

    “A coluna quando é vista por trás deve ser alinhada.

    O que é?

    Deformação da coluna vertebral nos três planos do espaço (Souchard e Ollier, 2001).  A coluna então se torce, não só para os lados, mas para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo. Essa torção em maiores graus determina a gravidade da escoliose e a forma de ser tratada.

    Classificação da escoliose quanto a forma da curva:

    – Curva simples, sendo esta à direita ou à esquerda (escoliose em “C”);

    – Curva dupla, (escoliose em “S”). Lembrando que a direção da curva é sempre identificada pela convexidade da coluna.

    Classificação das curvaturas escolióticas, podendo estas serem: cervicotorácicas, torácicas, toracolombares, lombares e lombossacrais.

    Relacionando o grau da angulação da escoliose e o tratamento correspondente, temos:

    1) 0 à 10 graus: não há necessidade de tratamento fisioterápico.

    2 )10 à 20 graus: há necessidade de tratamento fisioterápico.

    3) 20 à 30 graus: tratamento fisioterápico e uso de colete ortopédico ou de Milwakee.

    4) 30 à 40 graus: uso do colete ortopédico ou Milwakee.

    5)40 à 50 graus: somente tratamento cirurgico.

    Causas:

    – Idiopática : causa desconhecida (70% dos casos);
    – Neuromuscular : seqüela de doenças neurológicas, como por exemplo poliomielite, paralisia cerebral;
    – Congênita : oriunda de uma má-formação e
    – Pós-traumática.”

    Diagnóstico:

    “É  feito através de testes clínicos e de radiografias. Em todos os casos de escoliose, é importante o diagnóstico precoce e a avaliação clínica completa e radiológica do paciente. A avaliação postural faz parte da avaliação clínica, sendo de fundamental importância para o diagnóstico. Nela, o examinador compara os dois hemicorpos do indivíduo nas vistas anterior, posterior e lateral, observando possíveis diferenças e assimetrias ( Calliet, 1979). O controle da evolução sistemática é a forma de minimizar os danos dessa patologia que, quando não tratada corretamente, pode causar danos irreparáveis.”

    Você mantém a postura correta quando sentado?

    “A postura ideal é aquela em que você trabalha confortável sem se torcer ou fazer movimentos bruscos. Com um pouquinho de atenção você pode evitar grandes problemas.”

    Tratamento:

    “Baseia-se, dentre outros fatores, na idade, na flexibilidade, na gravidade da curva e na sua etiologia, compreendendo a correção das deformidades, com tratamento conservador, que inclui fisioterapia e utilização de coletes, adaptação de palmilhas posturais que incrementam a eficácia e o tempo do tratamento (Podoposturologia) ou o tratamento cirúrgico (Tribastone, 2001). Na opção de tratamento conservador a fisioterapia utiliza-se dos benefícios da R.P.G. ou Reeducação Postural Global, como método que corrige ou minimiza a escoliose através da identificação da causa do problema.”